O superego de Freud

A questão é: a ideia de que tudo que seja um princípio ético, um princípio normativo, é imposto de fora, introjetado no que Freud vai chamar de instância psíquica superegoica, que tem como função fundamental julgar, condenar e controlar através da culpa o indivíduo Isso fica muito claro na obra de Freud

Quando ele se refere às consequências do superego, ele diz: “a introjeção do superego torna o indivíduo menor” Freud estabelece o conceito de narcisismo primário, que significa que o indivíduo nasce numa situação de egoísmo radical e que ele só virá a ser um ser social na base da introjeção do superego e do exercício da repressão

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.