Na medicina, em algumas situações, menos é mais

Muitas vezes, menos é mais Não fazer determinados procedimentos, não instituir determinados tratamentos que para aquela situação não vão trazer uma reversibilidade, uma mudança de trajetória, é melhor não fazer

E o não fazer não quer dizer ficar de braços cruzados e simplesmente ver o trem passar Não é isso Eu já deixei claro aqui que quando se pensa em cuidado paliativo, se pensa em uma modalidade de intervenção que exige uma enorme competência técnica, uma enorme competência humanitária, uma excelente capacidade de comunicação de todos os profissionais envolvidos

Todos aqui devem imaginar que não é nada simples chegar para uma pessoa e falar algo que vai comprometer Daquele momento em diante a pessoa não vai mais ser a mesma Dar o diagnóstico de uma doença ruim ou chegar e falar que o tratamento já não está mais fazendo o efeito desejado é muito complicado Os profissionais precisam se preparar para se comunicar de uma maneira adequada, porque uma palavra mal dita se transforma em uma verdadeira maldição na vida das pessoas E a gente tem que ter realmente um cuidado muito grande com isso, porque a palavra é sagrada para quem pronuncia, mas ela é mágica para quem escuta

Sempre existe o que fazer O tratamento é limitado Agora, o cuidado é ilimitado

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.