Dicas para melhorar o checkout do seu e-commerce

0

Investir em um bom checkout do e-commerce, independentemente do seu ramo de atuação, pode ser uma grande vantagem que uma loja pode adquirir frente às outras. Isso porque, boa parte dos e-commerces da atualidade, apesar de receberem um número agradável de visitas, não possuem uma alta taxa de vendas. Isso é evidenciado em números: de acordo com pesquisas realizadas pela Barilliance em 2017, cerca de 78,55% dos usuários abandonam compras no carrinho. Dados assim mostram que apenas ¼ dos compradores efetuam uma compra sem abandonar o site antes.

Entretanto, existem várias formas para se alterar tal realidade. E é a respeito delas que o artigo a seguir irá tratar.

O que é o checkout de um e-commerce?

O checkout é um termo que pressupõe o ato de encerrar algum tipo de processo. Pensando nessa questão, o checkout que ocorre dentro do e-commerce é quando um consumidor decide encerrar o processo de compra, abandonando itens no seu carrinho. Isso quer dizer que um usuário, depois de passar por toda a jornada de compra (a qual compreende o ato de fazer o seu cadastro, selecionar o seu endereço de entrega, calcular o frete do produto escolhido e optar pela melhor forma de pagamento), decide, simplesmente, não fazer mais uma compra.

Apesar de parecer algo besta, o checkout é um grande problema para os e-commerces em geral, prejudicando todo um faturamento potencial que uma empresa poderia ter obtido.

Mas, por que o checkout acontece?

De acordo com o Instituto Baymard, em uma pesquisa realizada em 2016, as principais causas de checkout nos e-commerces são:

  • A necessidade de se realizar um cadastro;
  • Custos de fretes, taxas e impostos muito altos;
  • Processo de finalização da compra muito demorado;
  • Erros dentro do site;
  • Não conseguir ver o preço final de um produto;
  • Demora no carregamento da página;
  • Falta de confiança ao colocar dados do cartão de crédito;
  • Poucas formas de pagamento.

Tendo esses itens em mente, um e-commerce pode elaborar estratégias para contornar o checkout, sobre as quais o texto irá abordar a seguir.

1) Torne a vida do cliente mais fácil

De acordo com o mesmo estudo citado do Instituto Baymard, a necessidade de realizar um cadastro é o segundo maior motivo pelo qual os usuários desistem de uma compra. Isso porque o preenchimento de formulários enormes pode ser uma atividade um tanto quanto entediante, principalmente para aquelas pessoas que ainda não estão com 100% de certeza se deveriam realizar uma compra.

Portanto, para que uma compra aconteça, é importante que o e-commerce cobre apenas as informações pessoais que são essenciais para a efetivação de uma compra, tais como número de CPF, dados do cartão de crédito e endereço de entrega.

Dessa maneira, uma pessoa que quer, simplesmente, fazer uma compra rápida de equipamentos de resgate, por exemplo, dentro de um e-commerce já conhecido por ele, não precisa se preocupar em gastar um tempo que seja precioso durante o seu dia para preencher cadastros.

É importante lembrar que um usuário geralmente só está em um e-commerce para comprar. Entretanto, se a loja virtual deseja fazer um cadastro para ter um registro melhor dos seus compradores, ela pode oferecer a opção do social login. Ou seja, o ato de fazer cadastros em sites utilizando dados das redes sociais, dentre as quais se destaca o Facebook e o Google+. Esse tipo de ferramenta permite que o cadastro aconteça por meio de um simples clique, sem a necessidade de preenchimento de formulários maçantes.

Assim, um e-commerce que vende quadro geral de baixa tensão, por exemplo, pode pedir o cadastro de usuários que fazem compras constantes em seu site, como uma borracharia. Isso permite que a venda aconteça de uma maneira muito mais rápida.

2) Melhore a usabilidade do site

O ponto final para que uma compra aconteça é a página de conclusão de compras. É dentro dela onde o checkout acontece. Portanto, faz sentido incrementar essa página o máximo possível, tornando-a extremamente usável pelo consumidor. Este, ao acessar um e-commerce que vende balança de precisão para laboratório, por exemplo, deseja que a sua experiência no site seja tão boa quanto em uma loja física.

Nesse sentido, um e-commerce precisa contar com um sistema bastante intuitivo para a realização do pagamento, contando com uma navegação fácil através das páginas desse site. Hoje em dia, o tempo do consumidor está sendo cada vez mais valorizado, exigindo que os e-commerces consigam levar o seu usuário a escolher de maneira rápida o produto desejado e, posteriormente, efetuando a compra de forma prática, sem impedimentos ou burocracias.

Dessa forma, um e-commerce que vende, dentre outros itens, gaveta para caixa de comércios, pode usar sistemas de pagamento que nem aqueles utilizados por certas plataformas de comércio, como é o caso de alguns sites, em que o usuário, depois de cadastrar as suas informações, pode fazer uma compra apenas deslizando o dedo pela tela do celular ou com o mouse do computador.

Ainda pensando na página de pagamento, é importante que um e-commerce invista em layout e design no seu site para que as informações a serem apresentadas sejam bem visíveis. Utilizar letras pequenas, muitos campos de preenchimento de dados de pagamento e fontes que dificultam a leitura podem ser itens extremamente prejudiciais para quem deseja facilitar a compra. Muitas vezes, os dados podem ser colocados em espaços diferentes, invalidando o cadastro do cartão de crédito e desmotivando o cliente.

Além disso, nos dias de hoje, boa parte das compras online estão acontecendo através de dispositivos móveis como celulares e tablets. Portanto, uma pessoa a qual deseja comprar elástico para produtos descartáveis, por exemplo, por meio do seu smartphone precisa encontrar um site responsivo, ou seja, capaz de funcionar tanto na tela de celulares quanto de computadores.

Infelizmente, um grande número de e-commerces ainda utilizam a mesma página aplicável para computadores nas páginas destinadas aos celulares. Devido à diferença de formato das telas, a experiência do usuário pode ficar bastante defasada.

3) Invista na segurança da página de pagamento

Ainda nos dias atuais, existem muitas pessoas que ainda não se tornaram 100% favoráveis aos e-commerces ou que jamais fariam compras em um. Portanto, é necessário que a loja virtual saiba transmitir uma sensação de confiança para o comprador.

Uma opção interessante é adicionar selos de confiança quando o usuário entra na página de pagamento, mostrando ao cliente que o ambiente onde ele está é seguro e que os seus dados não estão passando riscos de serem roubados.

Dessa maneira, um e-commerce especializado em itens de empilhadeiras, o qual vende rodogas para empilhadeiras, por exemplo, pode investir na segurança do seu site para que o símbolo de um cadeado apareça ao lado do link do site (para usuários que estão acessado através do Google Chrome). Esse símbolo deixa os compradores tranquilos em compartilhar as suas informações.

5) Seja transparente com o seu cliente

Dentro da lista de motivos de checkout citada, verifica-se que muitos clientes abandonam a compra depois de identificarem os custos adicionais que uma compra tem além do valor do produto. Às vezes, os e-commerces escondem essas informações de propósito, para que os usuários não se assustem com o preço logo de cara.

Entretanto, é necessário que o site seja totalmente transparente com os seus consumidores, deixando claro todos os custos envolvidos na compra de um item, como frete, valores adicionais de personalização, taxas, entre outros. Sem tal transparência, um e-commerce que vende cinta de poliéster, por exemplo, irá perder clientes da mesma maneira.

Portanto, vale a pena colocar todas as cartas na mesa, colaborando para a percepção positiva os clientes e evitando que os usuários tomem choques na hora de consultar o preço final de uma compra. Este último acontecimento leva muitas pessoas a desistirem por conta da quebra de expectativas.

6) Ofereça mais formas de pagamento

Pode parecer algo simples, mas oferecer mais formas de pagamento do que o comum é um fato extremamente importante para as lojas virtuais. Isso porque, apenas 60% dos brasileiros possuem conta bancária. Outras informações também mostram que quase metade da população brasileira não tem cartão de crédito.

Ou seja, um e-commerce que trabalha exclusivamente com débito em conta bancária ou com pagamentos em cartão de crédito provavelmente está perdendo clientes. Assim, uma loja virtual que vende barra magnética, por exemplo, pode oferecer, além desses métodos o pagamento em boleto, uma das formas mais utilizadas pelas pessoas.Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Leave A Reply

Your email address will not be published.