As relações sociais são determinadas pela economia?

Economia sempre existiu, o cálculo utilitário sempre existiu, as trocas sempre existiram, o amor do lucro sempre existiu O que nunca existiu foi uma sociedade organizada a partir da economia

Isso é uma invenção de parte da filosofia política do final do século 18 e um experimento social criado, sobretudo a partir da Inglaterra, no início do século 19, que teve uma dispersão extraordinária pela Europa e pelo resto do planeta Não é mais a ideia de que a economia faz parte das relações sociais É a ideia de que as relações sociais são determinadas pela economia, são constituídas pela economia e devem ser vistas como economia Um sintoma disso é, enfim, esse enunciado absolutamente trivial de que um político, ele tem que ser um bom gestor É a completa despolitização da atividade pública e, na verdade, é a subordinação de todas as relações sociais à dimensão do mercado

Isso acontece no final do século 18, início do 19, foi estudada brilhantemente por outro autor, para ler toda semana, Karl Polanyi, num livro chamado ‘A Grande Transformação’ Na verdade, ele fez a anamnese, a autópsia desse mundo que surge no final do século 18 e mostra o quão escandaloso esse mundo foi, o mundo onde os sujeitos humanos estavam, de uma certa maneira, pendurados, fixos, protegidos em malhas de proteção social, muitas delas paternalistas, tradicionais, por certo, que vinham no Antigo Regime, mas estavam presos, fixados por uma forma de civilização que diz: "Ok, tchau, todo mundo livre, todo mundo livre no mercado fazendo seus contratos, os homens são iguais, não há diferenças entre nós" E o primeiro efeito disso é a mudança conceitual de salário O salário, que até o século 18 era pensado como quantidade de dinheiro suficiente para a pessoa ter uma vida digna passa a ser pensado agora como a quantidade de dinheiro que o mercado de trabalho pode pagar

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.