A tecnologia contribui para mantermos nossos desejos vivos?

A sociedade pós-moderna e, hoje, a sociedade contemporânea, nos trouxeram mais objetos de desejos, mais objetos de desejo, mais marcas, mais formas, formas para o corpo, formas e aparelhos de modificar, de pintar e nos trouxe a possibilidade de que os nossos desejos possam não nos frustrar A tecnologia contribui pra isso quando nós nos sentamos atrás de um teclado de um computador, no messenger, e conversamos com gente que a gente pode desejar sem ver, ou vendo uma fotografia, ou vendo

mas sem tocar E vocês imaginem o que é, eu estou me correspondendo, eu tenho 16 anos, estou cheio de desejos, como eu disse nós somos cheios de desejos, e eu tô me correspondendo com uma australiana que diz que tem 16 anos, que diz que é mulher, mandou até uma fotografia que eu não sei se é dela, né? Deve ser da prima, se é uma travesti Mas, nós conversamos, ela me ensina um pouco de inglês, eu ensino um pouco de português pra ela, e a gente vai construindo um amor profundo e o desejo se eterniza, porque eu não tenho dinheiro para ir pra lá

Talvez eu faça uma economia, vou deixar de chupar chiclete, comprar maconha e vou ver se eu compro uma passagem para a Austrália E ela não pode vir para cá porque ela trabalha e estuda e sempre as férias dela E, de repente, eu estou plenamente apaixonado sem o risco de me frustrar porque eu vou demorar pra ver essa mocinha

A tecnologia nos traz a possibilidade de a gente trazer perto de nós objetos de desejo sem o risco de que o desejo morra, sem o risco de que o desejo acabe Numa cultura, numa sociedade onde a gente não quer ter dor, a gente não quer ter frustração, a gente inventa jeitos de mudar as coisas que a gente sente: os remédios, a bebida, a droga, as fugas, é uma sociedade que perde desejos criativos e regride a desejos instintivos A psicanálise se vê às voltas com desejo até hoje, existe muito psicanalista, existe muito escrito sobre psicanálise, mas nós não conseguimos ainda imaginar uma maneira de mostrar às pessoas que nós somos sofredores, que vale a pena sofrer pelo desejo, vale a pena ter um desejo frustrado e construir outro Nós estamos perdendo essa capacidade

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.