A influência das mídias sociais nos relacionamentos de hoje

Você pode hoje, através de WhatsApp, você pode criar uma relação afetiva com uma pessoa do outro lado do planeta e você se encontrar de vez em quando com essa pessoa e você ter uma relação com essa pessoa, afetiva, mais intensa do que com alguém que está do seu lado E é interessante porque a própria distância física, mediada pela conversa no WhatsApp, parece criar uma câmara de eco, como se fala em estudos de mídias sociais, afetiva

Porque como você está à distância e ao mesmo tempo você está perto, como você acompanha cotidianamente aquela pessoa, inclusive através de fotos e vídeos ou textos, a ideia de que as mídias sociais necessariamente são um espaço de dissipação de afeto me parece um pouco equivocado É claro que você dissipa afeto nas mídias sociais, você dissipa afeto no sentido de que você produz mentiras sobre você, que é uma plataforma que serve muito ao narcisismo, que você cria vidas que não existem, né, através de uma criação de personagens ali, num mundinho que vai ser reproduzido nas mídias sociais, mas indiscutivelmente elas como ferramentas entram na vida afetiva e elas ampliam a potência do afeto nesse sentido Porque você pode, muitas pessoas tiveram essa experiência, você pode conhecer alguém de um lugar distante, você estabelecer um vínculo afetivo forte, as redes, no caso, as ferramentas de redes, você estabelecer e ampliar esse vínculo, produzir encontros físicos reais a partir daí, voltar para os encontros mediados pelas mídias sociais e, no entanto, essa experiência, ela será absolutamente verdadeira

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.