A educação pública era melhor no passado?

A gente pensar educação hoje, pensar em como inovar, em como melhorar a qualidade, a gente não vai conseguir fazer isso, ou não vai conseguir fazer isso a contento sem a gente primeiro atacar alguns mitos que pairam no senso comum Eu queria começar com um que pode causar alguma polêmica mas eu vou tentar argumentar com bastante evidências para vocês, para destruir um primeiro mito que me parece que prejudica hoje o debate educacional, que é o mito de que nós tivemos no passado uma escola pública de qualidade

Quando a gente diz que a escola do passado tinha qualidade, a gente tem que olhar para que escola a gente está falando Quem estudava nessa escola? Vamos trazer uma primeira evidência aqui O censo do IBGE em 1940 perguntou, como pergunta sempre, qual o percentual de crianças na faixa etária de 7 a 14 anos que estudavam na escola Hoje, finalmente, depois de muito esforço, nós chegamos próximo de 100% nessa faixa etária Os últimos dados do IBGE indicam que a gente está com um percentual de 97 a 98% das crianças de 7 a 14 anos estudando

Não estou falando de qualidade ainda, estou falando de acesso Mas, o que mostrava o censo do IBGE de 1940? Apenas 31% das crianças de 7 a 14 anos estavam na escola no Brasil Ou seja, de cada 10 crianças, 7 estavam fora da escola Então, em primeiro lugar, se a gente quer falar de qualidade da educação pública, a gente tem que entender para quem a gente está falando Era qualidade para quem? Era qualidade para uma minoria de 30% de crianças de 7 a 14 anos que estavam dentro da escola

Que qualidade tinham esses 70% de crianças que estavam fora da escola? Nenhuma

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.